-
-
-
 

Thursday, March 17, 2011

ETC | SER BLOGUEIRO


Acho que já está passando da hora dos bloggers "sérios" ou aqueles que se dedicam ao oficio de mostrarmos nossa força e exigir uma coisa muito simples e do qual todos gostaríamos, alcançar uma postura concreta diante dos veículos de comunicação e sermos respeitados pelo mesmo. Se você é blogueiro(a) e gostaria de apoiar a causa é bem simples. Meu amigo Gregory Martins do TrendCoffe está lançando a seguinte campanha: Blogagem Coletiva, onde no próximo dia 27 de Março vários bloggers nacionais e internacionais irão produzir um post falando do que é ser blogueiro e expressar a sua visão diante desse nicho de mercado. Entra no site e confirma a sua participação, enquanto o dia 27 não chega eu gostaria de compartilhar com vocês um texto que também foi escrito pelo colega Gregory a respeito sobre "A Dificuldade de ser Blogueiro no Brasil". Gostaria de chamar a atenção para empresas, assessorias e lojas que lêem o blog para que possam parar por cinco minutinhos do que está fazendo e que lessem o texto.



"Pensamos que produzimos conteúdo e o que movimentamos são 100 pessoas naturalmente curiosas. Nosso “espaço de mídia”, por assim dizer, se restringe a poucas linhas. Linhas que alguns utilizam para agradar e outros para discutir.
Não somos órgãos oficiais, não somos jornalistas (alguns são), não somos nada além de consumidores, admiradores e pessoas que divulgam de forma gratuita os conhecidos veículos de massa. Isto não deveria ser um posto inferior. Sem consumo, sem admiração e sem divulgação espontânea, o que teríamos seria… nada.
Ao longo destes 11 meses como editor do Trend Coffee vi tragédias e milagres em relação aos blogs. Há quem se manifeste a favor desta mídia tão informal, como eventos do qual participei como convidado e alguns outros que, com sorte, continuarei presente.
Ao mesmo tempo há um sufocamento maciço. Temos sobre nossas cabeças veículos de fotógrafos, veículos de moda, veículos próprios das semanas de moda, veículos legalizadores, veículos de massa e muitos mais. Não é pouca gente e, sobretudo, não é pouco dinheiro. Uma grande parte destes que povoam o território nacional ignoram os blogs (também nacionais) e desaguam em terras quentes blogueiros internacionais para nos chamar de terceiro mundo e falar “samba, Ronaldo, caipirinha” em horário nobre.
A grande problemática consiste em: alguém vende aquela foto que você postou “ilegalmente”; alguém vende a revista que disse, meses depois, o mesmo que o seu blog.
Por este motivo estaremos presos, voltaremos aos processos de legalidade autoral e estaremos extintos.
Não posso deixar de relembrar a típica frase “blogueiro só sabe falar de moda internacional”. E me perguntou: Por que devo falar de uma moda que não me reconhece como possibilidade? Por que devo me preocupar em falar de brasilidade se nossas passarelas se concentram em 70% de moda européia? Por que devo respeitar e fazer elogios automáticos para que assessorias de imprensa me enviem o que devo falar? Penso que, ao menos, a moda internacional agrega ilusão a este ofício não remunerado de poucas horas de sono e muitos advogados. Moda internacional não nos processa.
De nada adiantam “encontrinhos” regados a champagne e cupcakes. Precisamos de formais reais de organização para blogs sérios e assumirmos uma postura. Afinal, se a moda brasileira não cria possibilidades de divulgarmos as marcas, nós não falamos sobre elas. Não haverá cases de sucesso nem com Ashton Kutcher sambando. 
Qual o espaço que a mídia alternativa representa no Brasil? Não discuto aqui convites de Fila A ou piedade. Apenas questiono o respeito e isto também é um engano."
Gregory Martins

0 Comments:

Post a Comment